Acontecimento de real: inibição, sintoma e angústia

Ângela Mucida*

            O acontecimento de real associado ao acontecimento de corpo tem um uso preciso em Lacan. O acontecimento aliado ao inconsciente real e à lalíngua– linguagem arcaica e fundamental constituída de sons, imagens, odores, toques, intraduzíveis-, apresenta-se para o ser falante mesmo antes do advento do sujeito na linguagem.Eis dois usos possíveis desses dois termos.

            Em alguns momentos, a exemplo do Seminário R.S.I (1975) e A terceira (1974), Lacan os utiliza de maneira indistinta, talvez para demonstrar que, no tocante ao real em causa, eles tecem relações precisas. Entretanto, enquanto o advento expõe a pluralidade do real- advento da linguagem, da palavra, do significante, do objeto, do sujeito- o acontecimento de real ligado à lalíngua delimita um Real fora sentido, a-estrutural,  que não se liga a nada, pois não tem como limite o recalque originário. Ele só pode ser apreendido parcialmente por pequenos rastros que retornam na cadeia significante e afetos enigmáticos.

            O núcleo do conceito acontecimento de real encontra-se muito cedo em Lacan. No Seminário1 ele destaca a existência de acontecimentos “formadores da existência” relacionando-os com o recalque originário e distinguindo-os do acontecimento (no singular) do trauma, “(…)infinitamente mais importante do que o acontecimento que se passa depois na ordem das referências subjetivas”( Se 1,p. 22). Retomando Freud em O homem dos lobos ele acentua que “é certo que nós não sabemos se ele viu  ou se ele não viu, ele não pode saber o que viu em qual data e não poderá mesmo saber anos mais tarde.”( Se 1, p. 220). Associado à Prägung (impressão original) freudiana o “acontecimento traumático originário que não foi integrado ao sistema verbal do sujeito” só pode ser atingido no limite por um “jogo retroativo”a posteriori. Assim, todos os acontecimentos ou adventos que compõem a existência carregam essa impressão originária.

            Em Função e Campo (1953) temos novamente a associação entre acontecimento primordial e trauma. Lacan associa em outro momento o acontecimento primário à Erlebnis freudiana, experiência primordial. Ele chega a dizer que uma coisa é essa experiência primordial e outra a objetivação do acontecimento (Geschehnis). Portanto, a realidade do acontecimento não coincide com sua historicidade, mas deixa marcas. Tese retomada no Seminário 7: a contingência dos acontecimentos psíquicos não deixa de representar algo do acontecimento, no singular.

            Assim não interessa se o acontecimento de real ocorreu dessa ou de outra forma, mas como cada ser falante pode articula-lo na cadeia significante, a partir  dessa marca tecida por Uns esvaziados de sentido e afetos enigmáticos que se apresentam na inibição, no sintoma e na angústia.

            Nos anos 70, Lacan retoma o valor operatório desta tríade freudiana tendo como referência as modalidades do gozo. Valendo-se da planificação do nó borromeano, pois não se trata verdadeiramente de um nó, ele demonstra articulações e diferenças entre essas três respostas ao Real.

            Avançando com as teses freudianas da inibição como limitação ao eu e do conflito entre eu e supereu, com tudo que isto gera de culpa e autopunição, Lacan acentua a presença de uma inflação imaginária aliada ao narcisismo. Esse excesso encontra-se nos efeitos do duplo, na rivalidade e na competição, tão presentes na vida contemporânea. Defesa contra o real do desejo, a inibição situa-se entre o imaginário corporal e o simbólico, definindo para Lacan um gozo do sentido.

            Na angústia, o imaginário corporal encontra-se também presente, mas articulado ao real. Afeto que não engana por expor o real, a falta de significante no campo do Outro, a angústia toma o corpo, mas de maneira distinta da inibição. Exibindo a causa do desejo, ela presentifica o gozo do Outro. O que eu quero? O que o Outro quer de mim? Como o Outro goza? Questões que buscam responder aos efeitos do acontecimento de real. Lacan nos deixa ainda uma pérola clínica: extrair da angústia a sua certeza.

            Quanto ao sintoma, ele o define nos anos 70 como o que vem do Real. Ele é o acontecimento de corpo, real, efeito da lalíngua sobre o ser falante. Lacan o iguala ao nome próprio do sujeito. Sem o sintoma não existiria o fazer do psicanalista. De todo modo uma análise não se realiza sem irrupções de angústia e os adventos de inibição.

            Esse Colóquio é um convite a resgatar  essa tríade sob a perspectiva dos efeitos do acontecimento de real, singular, que insiste e resiste ao universal do mal-estar na cultura.

Com Freud e Lacan apostamos que “Nosso ofício é mostrar a impossibilidade de viver, a fim de tornar a vida um pouquinho possível. Você já viveu a hiância extrema, por que não alargá-la mais, a ponto de se identificar com ela?”( Lacan)

Referências bibliográficas

Freud, S. Inibição, sintoma e angústia. In:ESB das Obras C. S. Freud. RJ: Imago, 1976

Lacan, J. Seminário 1(1953/54). RJ: Jorge Zahar, 1981.

——— Função e Campo da palavra e da linguagem.( 1953) In: Escritos. RJ: Zahar, 1998

——– Seminário 7 ( 1959/60). RJ: Zahar, 1986.

———Seminário A angústia ( 1962/63) RJ: Zahar, 2005.

——— R.S.I In: http://www.valas.fr/Jacques-Lacan-RSI-1974-1975,329

——– La troisième In: http://www.valas.fr

——– Joyce o sintoma ( 1976) In: Autres Écrits, Paris, aux Éditions du Seuil, 2001

* A.M.E da EPFCL- Rede Diagonal Brasil- Forum Diagonal Belo Horizonte. Psicanalista Doutora em Psicologia , Autora dos livros :  O sujeito não envelhece – psicanálise e velhice  e Escrita de uma memória que não se apaga (Autêntica) e Atendimento psicanalítico do idoso ( Zagodoni ed.) e  vários artigos no Brasil e no exterior.

 Primeira fase de inscrições do III Colóquio da Rede Diagonal Brasil

Tema: “Acontecimento de real: Inibição, sintoma e angústia.” 

 

Até o dia 30/07** o valor será:

 

– Profissionais:R$ 200,00

– Estudantes de Graduação está R$ 100,00*.

Sobre as inscrições:

As inscrições são feitas através de Depósito identificado ou transferência. Caixa Econômica Federal.

· Adriano Jose Anchieta Silva

· Agência: 2923

· Conta Corrente: 24706-7

· Operação 001

· CPF: 031.911.366-30

Enviar comprovante de depósito ou transferência e os dados pessoais (nome completo, telefone, endereço, Profissional ou Estudante) para o email:coloquiodiagonal@gmail.com

*As inscrições com desconto serão válidas mediante comprovação de estudante enviado juntamente com os dados pessoais e o comprovante de pagamento.

** Após 30/07: R$ 250,00 / profissional

                         R$125,00/ estudante de graduação.

Comissão de Divulgação.